13 razões para aceitar a opinião alheia.

COM SPOILERS

A primeira coisa que notei ao começar a assistir 13 Reasons Why foi a semelhança com o jogo Life is Strange, da Square Enix. A trilha sonora calma, meio indie, meio folk … aquela que é ideal pra ouvir com a cabeça encostada na janela do carro enquanto chove lá fora e você finge que sua vida é filme, sabe?

A semelhança do tema central é algo indiscutível. Adolescentes que sofrem bullying em suas próprias escolas, o amor não correspondido, a indiferença dos adultos que acabaram se esquecendo de que um dia tiveram 16 anos e o suicídio como única saída disponível.

Muitas razões para assistir

13 Reasons Why foi baseada num livro de mesmo nome, do autor Jay Asher e conta a história póstuma de Hanna Baker (Katherine Langford), que corta os pulsos e espera pela morte numa banheira porque não enxergava outra saída. Hanna gravou 7 fitas (13 lados no total) com mensagens destinadas àqueles que a humilharam, ignoraram, machucaram. Àqueles que a levaram à morte.

O espectador é representado por Clay Jensen (Dylan Minnette), o real protagonista da série. Ele recebe as fitas e as escuta muito lentamente durante os treze episódios, revivendo certos momentos em locais específicos cuidadosamente marcados num mapa por Hanna.

Aqui preciso pontuar minha primeira opinião pessoal

Não me incomodei com a demora de Clay em ouvir as fitas, como muitos críticos comentaram. Acredito que levaria um tempo considerável também, levando em conta que era algo muito pessoal e traumático.

Veja, Clay era apaixonado por Hanna. Ele recebe as fitas e fica ciente de que se ele está ouvindo aquilo, ele é um dos 13 porquês da morte dela. Você conseguiria ouvir tudo numa noite?

Aliás, já vou deixar aqui todas as minhas opiniões pessoais. Vamos resolver isso de uma vez.

Minhas opiniões sobre o tema

Concordo em partes com a opinião de alguns colegas críticos sobre o embelezamento da vingança. Deixar as fitas apontando todos os erros dos envolvidos pode dar uma idéia errada à pessoas que estejam considerando o suicídio. Contudo, sem as fitas nunca saberíamos as atrocidades que eram cometidas entre aquele grupo de pessoas.

A solução? E se as fitas fossem uma espécie de diário pessoal que por acaso são encontradas por Clay? Acho que resolveria a questão da vingança de uma maneira honesta sem prejudicar o roteiro. Claro que estamos falando de uma adaptação e não posso dizer com mais propriedade pois não li o livro.

Minha terceira opinião (e mais polêmica) será revelada com muita cautela neste texto, então, se você se sentir ofendido, considere ler mais uma vez.

Pessoas com depressão existem aos montes e as vezes seu amigo mais próximo pode sofrer desta doença e nunca ter te falado. Pessoas alegres e ativas em redes sociais podem estar escondendo a tristeza por trás da mascara do dia-a-dia porque é simplesmente muito difícil ser levado a sério quando o assunto é uma “tristeza crônica”.

“É só ficar feliz, ué”
“Pense em coisas alegres!”
“Vai trabalhar, se distrair”

São algumas das coisas que nós iremos ouvir ao menos uma vez. Dito isso, quero dizer que não condeno nenhum caso de suicídio. Presta atenção: eu não estou incentivando a prática, mas quero explicar minha opinião.

Você não está sozinho nessa

Existem ONGs, principalmente na Europa, que se destinam a ajudar pessoas que estão sofrendo por x motivos e querem apenas parar. Parar de sofrer, de sentir. Há todo um acompanhamento de meses com o paciente e é um procedimento legalizado em alguns lugares.

O suicídio é uma decisão muito individual, que é diferente de egoísmo. Você já tentou viver a vida de outra pessoa? Sabe o peso que ela carrega nos ombros? Aquele dia em que tudo deu errado pra você, pode te deixar chateado ou emburrado, mas pode ser angustiante para outra pessoa.

Em outras palavras, eu jamais irei julgar alguém que comete suicídio. Ninguém nunca poderá dizer com certeza se as coisas iriam melhorar com o tempo, se ela seria feliz um dia, se ela estava apenas cansada … enfim.

Mas vamos voltar à história, agora com spoilers.

Todo mundo tinha toca fitas em casa?

Na lista das 13 situações que fizeram Hanna se matar (sim, são 13 situações e não 13 pessoas, pois Justin (Brandon Flynn) tem duas fitas), eu não concordo que todas foram tão graves.

A fita da Sheri (Ajiona Alexus)  por exemplo é uma das mais fracas, com aquela história um pouco maluca da placa de trânsito. Acho pouco provável que a falta dela tenha feito que Jeff (Brandon Larracuentebatesse o carro e morresse. Sheri foi uma má amiga quando deixou Hanna no meio da rua, óbvio. Mas acho um motivo bobo comparado a tantos outros.

A fita do Clay, apesar de muito emocionante, me pareceu muito deslocada como número 11. Por ser a única fita que não culpava o locutor e sim a própria Hanna, seria mais apropriado (e mil vezes mais emocionante) se Clay a recebesse no final das outras fitas, como algo secreto, destinado somente a ele.

As fitas da Jessica (Alisha Boe) e do Alex (Miles Heizerparecem importantes no começo, mas como ela é capaz de culpar uma menina que passou pelo mesmo trauma que ela mesma, nas mãos do mesmo cara? Jessica e Hanna foram estupradas por Bryce (Justin Prentice) e esses dois motivos são destoantes demais dos outros.

Claro, o conjunto todo de humilhações, difamações e amizades falsas quebrou Hanna por completo e quando você percebe que tudo aconteceu num período bem curto de tempo, é realmente sufocante.

Um dos motivos mais angustiantes pra mim foi o último. Hanna resolve dar uma última chance à vida e recorre ao Sr Porter (Derek Luke), conselheiro da escola. O descaso com que ele trata ela, insinuando que ela estava inventando tudo por ter se arrependido depois de ficar com Bryce por escolha própria só demonstra como a opinião feminina é geralmente ignorada.

Claro, ela é uma garota. O mais provável é que ela estivesse ciente do que estava fazendo, mas mudou de idéia na hora H. E o que o garoto pode fazer neste caso senão exigir o que foi supostamente prometido, certo?

Pois é, pobre garoto.
Agora inverta os papéis. Temos um garoto que desistiu na hora H e foi forçado por uma menina. Pobre garoto, né?

Onde estavam os adultos?

Felizmente não vi nenhuma crítica culpando os pais de Hanna, afinal eles tinham tanta culpa quanto você, espectador. Eles não perceberam algo diferente nela pois não havia algo diferente a ser percebido. Clay estava agindo de uma forma muito mais estranha em casa do que Hanna.

A atuação de Kate Walsh está excelente como sempre e a reação dela ao encontrar Hanna na banheira é digna de compaixão. A performance que menos me cativou foi a de Tony (Christian Navarro) que parecia estar lendo o roteiro em todas as cenas e não emociona nem quando descreve a morte de Hanna.

A cena em questão

A fatídica cena, tão comentada nas redes sociais foi um movimento ousado dos produtores e da Netflix. Mostrar com detalhes o suicídio de uma adolescente realmente foi uma atitude inesperada.

Eu gosto de atitudes inesperadas, gosto de ser surpreendida então achei muito interessante a decisão de incluir a cena. E palmas para a atriz, que conseguiu passar o sentimento de desespero, medo, angústia enquanto corta os pulsos com uma navalha. A respiração dela nesse momento específico foi muito convincente.

E nosso veredito é:

Nota: 8/10

Confesso que me distraí em alguns momentos da série lá pela metade. Nem todos os motivos parecem importantes ao olhos do espectador saudável, que não sofre de nenhum nível de depressão e todos os adultos parecem já terem se esquecido da fase adolescente. O público alvo da série é um pouco restrito e poderia ter sido um pouco mais abrangente.

No mais, é outro acerto da Netflix e vale a maratona!

Criadora do Yada Yada, produtora de conteúdo, youtuber, podcaster. Fã do mundo do entretenimento nerd desde adolescente, tem como hobbies os filmes, seriados, livros e jogos. Sempre perde a cabeça com as promoções da Steam e é especialista em ficar pistola a qualquer momento do dia.

12 thoughts on “Crítica 13 Reasons Why (2017)

  1. Mell eu entendo você não achar os motivo da Jessica e o Alex fracos, mas colocando no contexto dá pra entender melhor. Quando A Jessica e o Alex pararam de ser “amigos” dela, foi justamente quando vazou a foto dela no escorregador, e ela precisava do apoio dos amigos, e logo depois vem a lista do Alex e os assédios na escola porá causa da lista.

  2. Não é que eu não ache importante, mas comparado ao estupro e ligado ao fato da Jessica também ter sofrido o mesmo crime, acho que os dois poderiam ter sido tirados da lista. Ou não terem uma fita pra cada, apenas uma menção na fita do Justin quando ele deixa o Bryce vazar a foto.

  3. Mell, lendo tua crítica me dei conta de uma coisa: a série chama-se 13 Reasons Why. Lembre que Justin teve duas fitas, então são 13 motivos, mas um total de 12 pessoas. Logo, o foco não está nas pessoas, mas sim nos motivos. Em outras palavras, desde o título o objetivo não seria vingança ou transforma pessoas em vilões, mas sim questionar suas atitudes. Por certo isso nos leva ao fato de que cada atitude individual pode ser pequena ou grande, mas isso em si não importa. É o conjunto de circunstâncias e como elas se entrelaçam que gera o grande cenário. Se olharmos o pequeno cenário, de cada motivo, veremos que dentro deles há situações envolvendo o próprio indivíduo que o fazem ter aquela atitude. Logo, cada motivo tem um motivo. Eu particularmente gostei do Tony porque se você pensar ele não é um motivo, mas também se sente responsável, pois não viu o que ocorria e sente isso de alguma forma.

  4. Oi Mell, tudo bem? Gostei muito da sua crítica, especialmente por atribuir ao suicídio o peso e a complexidade devida. As pessoas impactadas pelo suicídio de alguém próximo tendem, após algum tempo digerindo a tragédia, a acessar um estado de raiva com relação a vítima, atribuindo-lhe o egoísmo e a tentativa de chamar atenção para si através do ato com o objetivo – inconsciente ou não – de livrar-se da culpa.
    Claro que não existe nada mais pesado e abominável que o estupro que a Hannah e a Jessica sofreram, no entanto, discordo de você quanto a redução da exposição dos motivos apresentados nas fitas da Jessica e do Alex. Somada a foto exposta por Bryce e Justin, a lista do Alex foi fundamental para o desencadeamento de um ambiente hostil pra Hannah dentro da escola e até mesmo fora dela. Ainda assim, a lista do Alex foi apenas um motivo. Outro motivo é o afastamento da Jessica, sua melhor amiga, trazendo à Hannah a sensação de solidão (que é talvez um motivo quase unânime nos casos de suicídio, então não acho que reduzi-lo fosse boa ideia) e, consequentemente, a potencialização do bullying que vinha sofrendo. Ela tenta lutar contra, mas ninguém a entende, nem o Clay.
    Enfim, apesar de serem dois motivos interligados – acho que todos são -, os motivos relacionados ao Alex e a Jessica têm pesos diferentes e foram fundamentais pra essa bola de neve continuar rolando até explodir em suicídio.

  5. Oi Laura, mas eu comentei que não são 13 pessoas e também falei que sim, alguns motivos eu achei fracos, mas se vc somar ao resultado final, dá pra entender o peso deles. E eu concordo sobre o Tony, só achei que faltou um pouquinho de emoção na atuação dele:)

  6. Pra ninguém reclamar: ALERTA DE SPOILER.
    –//–
    Oi Mell.
    Discordo de ti quando dizes que a Jessica deveria ser tirada das fitas por conta de ter sido estuprada. Sim, ela é uma vítima de um crime horrível, mas isso não apaga o que ela fez à Hanna.
    Em outro ponto, acho que o Sr. Porter não a tratou com descaso. Não há como alguém que não tem nenhuma informação sobre um problema ajudar quem está com o problema se esse alguém não dá as informações necessárias. Ela não conseguiu falar com ele direito, especialmente quando ele pergunta se ele fez algo com ela à força e ela diz “I don’t know” (pergunta que, pra mim, é de resposta “sim” ou “não”). Ele perguntou se ela queria levar isso para o lado criminal e ela disse que não, que não quer entregar nomes e tal, o que significa que, como ele diz, ela deve seguir em frente. Não tem outra escolha. Essa conversa poderia durar horas e ela foi embora em minutos, ou seja, ela não ajudou ele a ajudá-la. O fato de ele não ir atrás dela depois de atender o telefone eu penso que foi por tudo que citei acima e por ele ter, talvez, ficado pensando sobre algum modo de ajudá-la.

  7. Você não acha que a Netflix foi meio oportunista? Vamo lá, a série é sobre suicídio né? Não só sobre isso, sobre bullying também, mas envolve suicídio, Acho que é unânime que esse é um tema delicado, não da pra tratar de qualquer jeito, certo?

    No pós-13 razões, onde aparece os atores e a selena gomez, a última coisa que ela fala é tipo “ah fizemos isso para você saber que você importa e não esta sozinho, então espalhe isso entre os seus amigos”, Mas se realmente foi uma série sobre suicídio e para – dentro de certos limites obviamente- ajudar as pessoas que estão pensando nisso e tals, pensando dessa mandeira mesmo, não foi uma bosta de série?

    A série acaba toda desgraçada, alex se matou, jessica indo falar pro pai o que aconteceu com ela, clay destruido, mó galera preocupada com as consequências que o vazamento da fita pode causar para faculdade deles, qual a única pessoa que fica de boa no final? O estuprador………

    “Ah mas na segunda temporada ele vai pagar pelo que fez” pô, a gente vai mesmo tratar de um tema como suicídio e deixar coisa para segunda temporada? A hannah não vai te segunda temporada velho. Sei lá, achei que a netflix quis mais é que viralizasse mesmo e menos falar de verdade sobre o assunto. Queria o ponto de vista de alguém que passa/passou por essa situação para saber do ponto de vista deles se a série trata do assunto de uma forma legal mesmo

  8. Oi Cassio, não acho que seja oportunismo da Netflix porque é uma adaptação. Se for assim, o livro deve ser considerado oportunista também?
    Não concordo com uma segunda temporada, acho que finalizou desse jeito e tá bom, a menos que seja pra dar uma punição ao Bryce.

  9. Mas a unica coisa que ela fez pra Hanna foi ter ficado com cíumes do Alex por causa daquela lista estúpida e ter ficado contra a Hanna, claro que não é atitude de uma amiga, mas ela tinha seus próprios problemas sabe, e outra, falar assim pra todo mundo sobre o estupro da Jéssica eu achei meio sacanagem, deveria ser uma fita que só a Jéssica escutasse.

  10. Caraca melhor critica dessa série msm, parabens mell ficou muito bom! demorei uns 2 dias pra ler pq eu ainda estou tentando processar isso hahaha 🙂 <3

  11. Confesso que concordei um pouco com você, eu maratonei a série, então em certo momento achei arrastado, me fez ter uma antipatia ao protagonista, e como você mesmo disse, “Nem todos os motivos parecem importantes ao olhos do espectador saudável”, ao conversar com uma amiga sobre a série e explanar minhas implicações com Hannah e o Clay ela me mostrou um lado da moeda, o lado de quem realmente sofreu e ainda sofre de Depressão, e realmente alguns pontos que ela ressaltou e aos meus olhos eram coisas frívolas, se tornaram algo maior dentro daquele cenário.
    Ah tente implementar o Disqus aqui please. Bjão e bom trabalho.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.