Logan (2017)

Logan é uma grande homenagem ao fim de uma era.

COM SPOILERS!

Após termos Hugh Jackman como Wolverine por dezessete anos, finalmente chegamos ao final deste ciclo com uma atuação digna, dirigida por James Mangold.

O filme se passa em 2029 e não vou tentar explicar a linha do tempo extremamente confusa dos X-Men no cinema porque acho que ninguém conseguiria essa façanha. Mesmo depois de tentarem arrumar isso com X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, no final o filme só complicou ela mais ainda.

Logan conta a história de um X-Men que desistiu de ser herói e agora tenta levar a vida como um mero mortal, se matando de beber e trabalhando em um emprego sem futuro como motorista de limousine para poder cuidar do seu velho amigo Charles Xavier (Patrick Stewart), quando Laura/X-23 (Dafne Keen) entra em suas vidas.

So this is what it feels like …

A relação entre os três ao viajarem juntos é fantástica, Xavier acaba se tornando o vovô legal que protege Laura a qualquer custo, mesmo que ela não precise de proteção alguma. Logan se mantém distante dela, vendo ela como uma criança problemática que lembra muito ele mesmo antes de se juntar aos X-Men.

Mas a relação dele com o Xavier acaba sendo o ápice do filme, pois Logan o trata como uma criança, sempre mandando tomar seus remédios e virando praticamente o enfermeiro pessoal e cuidador do bom velhinho.

O filme perde algumas oportunidades boas em termos de vilões. Eles são vazios e seguem o mesmo plano padrão de todos os filmes dos X-Men: formar um exército de mutantes que é controlado por alguém maquiavélico para algum propósito sombrio.

O cientista Dr. Zander Rice (Richard E. Grant) pode ser considerado o vilão principal do longa. Após perceber que mutantes com sentimentos não são tão fáceis de controlar pois eventualmente começam a se questionar, ele cria uma arma especial que é nada mais e nada menos do que um clone do Wolverine. 

Sim você leu isso mesmo.
E esse clone não é a X-23 e sim o próprio Wolverine com um Hugh Jackman mais jovem: o X-24!

And way down we go …

A batalha final do filme acaba sendo velho Logan contra X-24. Prestes a levar a melhor sobre o velho Logan, o clone recebe um tiro de revolver no crânio com uma bala de Adamantium. Caso você já tenha assistido a decepção cinematográfica que foi X-Men Origens: Wolverine (2009) você deve se lembrar que o Coronel Stryker faz a mesma coisa com o Logan naquele filme, são dois tiros com bala de Adamantium na cabeça do Logan, que causam ele a perder a memória ao se regenerar. A palavra chave aqui é regenerar!

Sabe o que acontece com o X-24 neste filme? A cabeça dele explode e ele morre. É isso mesmo, a bala estourou os miolos dele e ele não regenera! Cadê a lógica nisso FOX? Tudo isso poderia ser evitado se a arma secreta fosse o Dentes-de-Sabre, imagina que lindo seria ver o ele todo domado e controlado pelo Dr. Rice. A luta final teria sido muito mais significativa devido a historia entre os dois personagens.

As cenas de lutas são sangrentas como deveriam ser, afinal o filme tem classificação indicativa para maiores de 18 anos. Cabeças decepadas e garras cortando tudo e todos. A medida que o filme avança, vemos a degeneração de Logan e o laço criado entre ele e Laura, tudo culminando para o final já esperado.

A morte de Wolverine foi uma cena emotiva, que fez muitos dos fãs chorarem. Segurando a mão de Laura, ele sente pela primeira vez o que é ter uma família e ao mesmo tempo, sente o que é morrer.

E o nosso veredito é …

NOTA: 8/10

Finalmente vimos Wolverine como ele foi feito para ser visto: +18 e sem filtros, com lutas ultra violentas, muito sangue e aquele sentimento de quero mais. Totalmente diferente do sentimento de náusea causado pelos filmes anteriores dele.

Não tem cena pós-credito, infelizmente. Mas bem que poderia ter uma breve aparição do Deadpool, já que o teaser de Deadpool 2 só foi exibido nos cinemas americanos.

Criadora do Yada Yada, produtora de conteúdo, youtuber, podcaster. Fã do mundo do entretenimento nerd desde adolescente, tem como hobbies os filmes, seriados, livros e jogos. Sempre perde a cabeça com as promoções da Steam e é especialista em ficar pistola a qualquer momento do dia.

2 thoughts on “Crítica Logan (2017)

  1. Mais do que uma bela homenagem, o filme traça um novo rumo pra franquia.

    Com um roteiro que demonstrou que certamente pode ser mais denso e adulto que os demais filmes, tudo indica que os novos mutantes vêm aí e podemos esperar mais da X-23 em ação.

    Cara, por mais que o deslinde final seja ruim, não dá pra negar o fato de que quando o x-24 entra em cena, o cinema todo deu aquele gritinho de surpresa. Genial..
    Sobre a bala de adamantium, natural que cause mais estragos em um clone, afinal, é um clone, ou seja, uma cópia mal feita do nosso querido Carcaju.

    Ainda assim, minha nota é maior, 9/10. Me ajuda aí ,Hawk. rs

  2. Não cara, a parte da bala não me fez sentido algum … Se ele é o clone mal feito, então pq ele ganha a luta? Huahauhauahuahaua! Mas eu aceito que o filme deve colocar novos mutantes daqui pra frente, o fato é, essa timeline vai continuar? Os filmes da X-23 vão se passar todos pós 2029? Como o filme é da FOX, duvido muito que a linha do tempo seja respeitada … A não ser que o Cable aparece no futuro, pegue ela e leve para o passada onde boa parte do universo acontece 😉

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.