Obrigada DC e Warner por acertarem em Mulher-Maravilha!

SEM SPOILERS

Diana Prince (Gal Gadot) está em Paris quando recebe a foto enviada por Bruce Wayne, a mesma que vimos em Batman vs Superman. A partir daí, começamos uma jornada em flashback para descobrir as origens de Diana em Themyscira.

Desde pequena ela tem interesse no treinamento bélico e nas histórias lendárias, desde Zeus e a criação dos humanos e a guerra com Ares, levando ao surgimento das amazonas. A Rainha das Amazonas e mãe de Diana, Hyppolyta (Connie Nielsen) é contra seu treinamento precoce. Diante da proibição, Antíope (Robin Wright) aceita treiná-la escondido.

Piadas na medida certa

Steve Trevor (Chris Pine) chega em Themyscira e Diana descobre um pouco mais sobre o mundo fora da ilha, além de algo chamado senso de humor. O alivio cômico no filme é simples e nada forçado e as piadas conseguem ser boas serem machistas.

A ingenuidade de Diana perante às novidades do mundo e as atrocidades da batalha deixam o filme leve, sem aquele clima de mega produção cinematográfica épica de super herói fodão que acaba com todo mundo. Ela simplesmente quer derrotar seu inimigo e acabar com a guerra.

Fotografia e trilha sonora

A música tema do filme é usada em cenas específicas de ação, o slow motion não fica cansativo e repetitivo e a fotografia e as cores são impecáveis. Existem alguns erros de CGI durante o filme, mas nada que atrapalhe a experiência geral.

E o nosso veredito é …

Nota: 9.5/10

O vilão deixa um pouco a desejar, na minha opinião, mas também não é algo que prejudique o filme como um todo. Sem dúvida, um dos melhores filmes de super herói já feitos. Obrigada, DC e Patty Jenkins!

Criadora do Yada Yada, produtora de conteúdo, youtuber, podcaster. Fã do mundo do entretenimento nerd desde adolescente, tem como hobbies os filmes, seriados, livros e jogos. Sempre perde a cabeça com as promoções da Steam e é especialista em ficar pistola a qualquer momento do dia.