Skip to content

Crítica Os Guardiões (2017)

Os vingadores russos, quero dizer, os guardiões atacam!

SEM SPOILERS!

Imagine um filme que é o clone dos Vingadores. Essa é a premissa do filme: clonar de uma forma completamente russa um dos filmes de maior bilheteria no mundo.

A história é sobre uma agência secreta chamada Patriots que faz experiências em humanos normais para transformá-los em armas depois de um de seus principais cientistas ir a loucura e virar uma dessas armas.

A major Elena Larina (Valeriya Shkirando) é colocada como chefe dos Patriots e sua missão é juntar alguns destes super-humanos para formar uma equipe e salvar a Rússia.

A equipe escolhida para salvar o mundo é a seguinte:

  • Dr. Arsus (Anton Pampushnyy), um cientista que quando fica nervoso se transforma em uma criatura gigante … não, ele não é verde … ele é um urso;
  • Khan (Sanjar Madi), um ninja que se teleporta, tipo o Noturno dos X-Men;
  • Ler (Sebastien Sisak), o cara que controla pedras. Ele é o líder da equipe e também tem o poder de transformar suas pedras em um escudo gigante para proteger seus aliados. Igual aquele cara dos Vingadores com o escudo sabe;
  • Kseniya (Alina Lanina), a menina invisível, tipo aquela do Quarteto Fantástico;
Guardians Assemble!

O filme tem uma cena pós-crédito e um final que deixa a entender que teremos sim os Guardiões 2. Tudo é muito grande e muito russo, e isso é muito legal. Acredite ou não, o filme tem mais alívio cômico do que as produções da DC.

O longa tem coisas magnificas como por exemplo: um urso usando uma metralhadora, hip-hop russo e CG melhor que muito filme Hollywoodiano por ai …

E o nosso veredito é …

NOTA: 8/10

Sinceramente, essa franquia tem futuro. A história nesse filme é muito corrida e acho que isso é algo que pode ser melhorado. Fora isso, urso com metralhadora … a última vez que eu fiquei feliz de ver um animal com uma arma dessas foi em Guardiões da Galáxia.

Sabe aquele cara que no grupo de amigos sempre reclama e é escrotamente sarcástico? Então, como diria o Roberto Carlos, esse cara sou eu, e por alguma razão inexplicável as pessoas gostam de mim. Mas os seres humanos nunca fizeram sentido pra mim, então como diria o outro Roberto Carlos, bola pra frente.
Published inCINEMA
  • Marcos Egídio

    Quando você coloca “crítica” no título eu espero mais do que “o filme foi muito legal”. Existe espaço para melhora, Dos 8 parágrafos da “crítica”, 5 foram usados para descrever o enredo. Tente usar mais figuras de linguagem. e tente começar as críticas com uma figura de linguagem. Por exemplo: “Ao passar férias na Rússia, o que um turista imaginaria como o fim do mundo, um cidadão de Moscow apenas enxerga mais um episódio de Guardiões, o mais novo filme de super-heróis russos, totalmente crível, levando em consideração o tipo de ser humano que brinca com ursos e bebe vodka no café da manhã’;

    Desejo sinceras evoluções a todos, vocês merecem.

  • Douglas Falcão

    Obrigado pelo feedback, meu jovem! Vou tentar evoluir a partir das suas notas.