punho de ferro

Um punho de decepção na sua cara.

SEM SPOILERS!

Vou começar sendo honesto aqui e dizer que não sou muito conhecedor do Punho de Ferro no mundo dos HQs. Devido a isso acabei preferindo ver o seriado antes de ir atrás dos HQs dele. Assistindo a série com os olhos de alguém que não conhece o herói, posso dizer que é aceitável.

I am the Iron Fist!

A história conta a trajetória de Danny Rand (Finn Jones), o jovem sobrevivente de um acidente aéreo. Na queda do avião da família Rand, apenas Danny sobrevive. Ele é encontrado por dois monges e levado a um monastério em K’un-L’un (a cidade mística). Lá ele é treinado em Kung-Fu e é concedido a honra de se tornar o próximo Punho de Ferro (protetor místico de K’un-L’un). Sim, tudo é muito místico lá aparentemente.

O seriado começa a engrenar a partir do episódio quatro (Eight Diagram Dragon Palm) onde realmente vemos do que o Punho de Ferro é capaz. A série progride de um forma legal, sem ter muitos episódios chatos e longos.

Kung-Fu, not Karate

Minha grande decepção foi com as cenas de luta. As cenas mostram claramente que elas foram coreografadas, pois são muito lentas. Acho que alguém da produção precisava ter assistido a trilogia do Ip Man para aprender como fazer cenas de lutas fantásticas.

É um herói cujo poder é lutar e seu maior conhecimento é o das artes marciais. Como entregaram lutas tão fracas, tão lentas, tão chatas? Cena de luta deveria ser o ápice nessa desgraça!

Observações

Uma coisa que eu tenho percebido nos seriados Marvel/Netflix é que o personagem principal nunca é o mais legal, pelo menos não pra mim. Óbvio, isso é um questão de gosto, mas os personagens “secundários” acabam sendo sempre mais interessantes. Exemplos disso são:

Dito isso, eu preciso mencionar que o Ward (Tom Pelphrey) nesse seriado está fantástico! Pra não dar spoilers, eu só vou dizer que achei as idas e voltas do personagem muito boas!

Pra quem não percebeu, tivemos mais um aparições do bom e velho Stan Lee. Mas assim como em Luke Cage, foi só por foto mesmo:

Stan Lee

Similaridades entre os heróis de Ferro da Marvel
  • Danny Rand é o Punho de Ferro x Tony Start é o Homem de Ferro;
  • Danny é dono majoritário de um empresa com seu sobrenome (Rand Corporation) x Tony Stark é dono majoritário de um empresa com seu sobrenome (Stark Industries);
  • Danny é um bilionário filantropo playboy x Tony é um bilionário filantropo playboy;
  • Danny Rand nunca é chamado de Daniel (seu nome real) x Tony Stark nunca é chamado de Anthony (seu nome real);
  • O Punho de Ferro utiliza chi (um tipo de energia do corpo) x O Homem de Ferro utiliza energia;
  • Ambos perderam seus pais e herdaram um império.

Com isso dá pra perceber que a Marvel na época da concepção do personagem, não estava com muita imaginação … Ou as vezes sou só eu sendo nerd chato.

E o nosso veredito é …

NOTA: 5/10

Punho de Ferro é um série interessante, mas ela falha onde deveria ter se excedido mais: nas lutas. Claro que isso não tira nossas expectativas para Os Defensores. Vamos esperar que ao se juntar com o Demolidor, Jessica Jones e Luke Cage, as cenas de luta melhorem exponencialmente.

Criadora do Yada Yada, produtora de conteúdo, youtuber, podcaster. Fã do mundo do entretenimento nerd desde adolescente, tem como hobbies os filmes, seriados, livros e jogos. Sempre perde a cabeça com as promoções da Steam e é especialista em ficar pistola a qualquer momento do dia.

6 thoughts on “Crítica Punho de Ferro (2017)

  1. Vou discordar um cado das cenas de luta. Não é algum tipo de tosca carteirada, mas pratico kung fu. De cara já sei, como é mostrado no EveryFrameaPainting, que o ocidente peca muito em fazer cenas de luta, muito artificiais, embora a Netflix tenha se mostrado acima da média nessas séries, principalmente com demolidor. Mas nesse caso de Punho de Ferro discordo por alguns motivos. As lutas em Ip Man são boas, mas em si não são realistas como poderiam ser. Mas ao mesmo tempo elas possuem uma característica que modifica tudo também, o estilo. O Wing Chun é bem mais contido em movimentos, facilitando a filmagem e também dando uma velocidade maior aos movimentos, já que são um tanto mais curtos. Já Punho de Ferro trata dos estilos mais tradicionais, alguns até dos ‘estilos de animais’. Que possuem uma certa não praticidade inerente e causem sim, uma impressão de falta de marcialidade, ganhando uma visão mais artística, afinal, arte + marcial. Muitos desses desenvolvidos para demonstração. O meu estilo, o Garrra de Águia, tem suas tecnicas iniciais bem contidas e duras, feito há uns 800 anos, tinha real utilidade em batalha, era treinamento militar, mas com o tempo foi introduzido movimentos mais acrobáticos, tanto que uma das denominações é Garra de Águia acrobático, com muitos movimentos não práticos numa luta real.
    O que acho que aconteceu na série pode ter sido a inexperiência ocidental em captar o kung fu ~de raiz~, visto que todos se acostumaram aos estilos mais dinâmicos aplicados por bruce lee e jackie chan, por exemplo, para o cinema, feitos para o cinema. Para captar o estilo shaolin seria preciso, provavelmente uma imagem mais parada focada nos movimentos, sem muitos cortes, um costume da luta curta. Mais como é feito nos filmes O tigre e o dragão, Heroi, O Clã das adagas voadoras, exceto da parte mágica voadora, claro. Mas uma abertura mais ampla dos movimentos, que acho que foi melhor apresentada na luta do estilo bêbado, embora nem tanto como poderia. Se pode achar no youtube jackie chan lutando o bêbado e se vê que a câmera deixa muito espaço para apreciar o movimento, não filma tão colada. Pois em questão de movimentação achei as lutas muito boas e bem fieis a todos os estilos, considerando a limitação dos atores, claro.
    Escrevi muito mais do que imaginava. o_o

  2. Olha eu já assisti muitas séries Netflix/Marvel e cara uns HQs dão certo como séries e outros n, por incrível q pareça assisti assim q vi o trailer no YT antes de ver qualquer critica, e gostei muito, e ta geral hateando no Tw e etc… parabéns pela crítica agr consegui ver pelo seu ponte de vista é bem compreensível. 😁👍

  3. Assim que terminei de ver a série, ficou aquele sentimento chato de “eu queria ter gostado mais”…o estilo de filmagem nas lutas atrapalhou muito mais do que as lutas em si.
    Deveriam ter prestado atenção nisso, tendo em vista que o Danny é tido como o bad ass módafóca da arte marcial.
    Em dado momento, achei as lutas lentas mas encarei como “ele é tão superior aos demais que os movimentos dele são quase em câmera lenta”.
    Ward foi do caralho demais!!! E a Madame Gao, detonou!
    A Joy, achei muito sem sal tadinha…ela parecia estar num conflito constante como se ainda estivesse lamentando tudo o que aconteceu na vida dela (mesmo sendo podre de rica e tendo a vida completamente focada no trabalho).
    Em geral, assistiria novamente mas tem prestar tanta atenção e sem maratonar.

  4. Guilherme, fico feliz de ter o input de alguém com o domínio da arte. Eu não quis criticar em si o Kung-Fu pois não tenho base pra isso. Só analisei em cima de outras cenas de luta de outros filme/séries, ai no comparativo achei as do Punho de Ferro fracas. É como você disse, as vezes isso é culpa da falta de domínio do ocidente. 😀

  5. Então Matheus, o problema de achar que o Danny era tão pica e por isso parecia estar “brincando” com os oponentes é que ele apanha pacas na série, e isso meio que deixa o pensamento de “Se ele é tão pica, por que ele sempre sai das lutas todo detonado?”. Mas eu também tive a mesma sensação ao final, e foi isso que me decepcionou mais.

  6. Pois é Deivid, a série é legalzinha, mesmo obviamente não segue 100% o source-material. Devido a isso e o fato de ter achado as cenas de luta tão fracas, eu não tive como dar nota alta 😉

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.