Skip to content

Revimos Dragonball Evolution (2009)

Dragonball: a evolução da tristeza!

COM SPOILERS!

Esta é, na minha opinião, uma das piores adaptações já feitas na história do cinema. Baseado nos mangás de Dragonball, essa aberração erra em praticamente tudo que se propõe a fazer.

Ow, my balls!

Primeiramente, sim, “Ow, my balls!” é uma fala do filme, dita pelo cara que é chamado de Yamcha (Joon Park) e ela define perfeitamente como todos se sentiram ao ver essa desgraça.

O filme conta a história da adolescência de Goku (Justin Chatwin), mesmo que todas as histórias dele no mangá e no anime se passem quando ele é criança (Dragonball e Dragonball GT) ou adulto (Dragonball Z e Dragonball Super).

Goku é adotado ainda bebê por um velhinho chamado Gohan (Randall Duk Kim) e após crescer e ser treinando (ou bullynado?) por Gohan, Goku inicia seu período de escola.

Nesse momento, você como fã dos mangás pode estar pensando: “Mas essa é a história do Gohan (filho do Goku) e não do Goku”. Pois é, mas a FOX ligou o foda-se para tudo nessa produção e o diretor James Wong aparentemente não tem respeito algum pelo mangá.

Kamehameha!

Já na escola Goku conhece Chi-Chi (Jamie Chung) ao sofrer bullying do namorado dela. Lord Piccolo (James Marsters) que estava preso no centro do terra por uma maldição, aparece livre e de boas, inexplicavelmente. Mai (Eriko Tamura) aparece em uma cidade destruída por Piccolo e rouba uma das sete dragonballs e Goku recebe uma delas de seu avô como presente de aniversário.

Ao voltar para casa após uma festa, Goku descobre que seu avô foi espancado por Piccolo para conseguir a dragonball que havia sido dada a Goku. Gohan morre nos braços dele, mas antes pede que ele encontre o mestre Roshi (Yun-Fat Chow) para finalizar o seu treinamento e ajudá-lo a derrotar Piccolo. Dai pra frente começa a aventura de uma hora onde a galera conhece Bulma (Emmy Rossum) e Yamcha.

As diferenças entre o filme e o mangá
  • Goku e Bulma são asiáticos e não brancos. Aliás, nenhum personagem do filme tem alguma similaridade física com os do mangá ou anime (vide imagem abaixo);
  • Mai na verdade nunca foi uma subordinada do Piccolo e sim do Pilaf. A única relação dela com o Piccolo é quando a gangue do Pilaf se une ao grupo para encontrar as dragonballs. Além disso, ela nunca teve o poder de se transformar em outra pessoa. Ela não é a Mística dos X-Men;
  • Oozaru era um macaco gigante e não uma transformação de lobisomem e também nunca foi discípulo de Piccolo no mangá;
  • Goku é um cara calmo e leva as paradas na esportiva mas no filme ele parece um psicopata tentando se segurar para não sair matando todo mundo;
  • Kamehameha não é uma técnica de enfermagem usada para tiros no peito;
  • Goku não se apaixona por Chi-Chi mas ela se apaixona por ele no mangá. O Goku no começo de Dragonball nem sabe o que é uma mulher;
  • Goku precisa de rabo para se transformar em Oozaru;

E o nosso veredito é …

NOTA: 1/10

Só não demos zero porquê pelo menos a camiseta laranja do Roshi e as dragonballs estavam parcialmente aceitáveis. De resto é tudo ruim e eu não sugiro esse filme para ninguém. O negocio foi tão feio que o roteirista Ben Ramsey se desculpou publicamente pelo roteiro do filme. Ah! Esse filme tem uma cena pós-crédito que mostra que o Piccolo na verdade ainda esta vivo, porquê alguém na FOX realmente acreditou que essa bosta teria uma sequência! Haha!

Sabe aquele cara que no grupo de amigos sempre reclama e é escrotamente sarcástico? Então, como diria o Roberto Carlos, esse cara sou eu, e por alguma razão inexplicável as pessoas gostam de mim. Mas os seres humanos nunca fizeram sentido pra mim, então como diria o outro Roberto Carlos, bola pra frente.
Published inCINEMAHQSNOSTALGIA
  • Josiel

    Esse filme não precisa de critica, e sim de esquecimento. Prefiro assistir Esquadrão suicida à assistir está lustrosa merda

  • Douglas Falcão

    Josiel, precisamos lembrar do passada para não repeti-lo! Hahaha … Acho que essa frase nunca foi tão propicia pra algo! 😀